República e Higienópolis são bairros mais verticalizados de São Paulo

Escrito por on 11/07/2018

Regiões sul e central dominam top 10 de verticalização; Lapa e Vila Sônia, na região Oeste, foram os que mais verticalizaram nos últimos 10 anos

 

É uma tendência das grandes metrópoles mundiais a verticalização de seus imóveis, ou seja, os prédios têm ganhado a paisagem das cidades nas últimas décadas. Uma pesquisa inédita realizada pelo ZAP, empresa do Grupo ZAP, detalhou esse fenômeno na capital paulista e conseguiu identificar que os bairros da República e Higienópolis são os bairros mais verticalizados da cidade com 97% dos imóveis são do tipo apartamento.

O estudo identificou que as regiões central e sul são líderes no ranking de verticalização, cada uma delas ocupa cinco vagas no top10. Além da liderança da República e Higienópolis, a lista segue com Santa Cecília (96%), Itaim Bibi (95%), Paraiso (95%), Bela Vista (94%), Sé (93%), Moema (93%), Vila Nova Conceição (89%) e Vila Olímpia (88%).

Dentre aquelas menos verticalizadas temos os extremos da cidade como destaque. Anhanguera (zona norte) e Jardim Ângela (zona sul) não possuem nem 1% de seus imóveis verticalizados, em seguida estão Parelheiros (1%), Marsilac (2%), Cidade Ademar (3%), Grajaú (4%), Pedreira (5%), Cidade Jardim (8%), Ermelino Matarazzo (8%) e Artur Alvim (8%). Para a gerente de inteligência de mercado do Grupo ZAP, Cristiane Crisci, essa divisão representa a evolução da cidade durante a história. “Enquanto existe uma divisão entre os bairros líderes da verticalização, nos menos verticalizados temos uma dominância do extremo da zona sul, com seis representantes, além dos dois do extremos da zona leste. Isso mostra como os empreendimentos por anos ficaram presos nas regiões mais centrais da cidade e nas última décadas buscam alternativas”, detalha.

Em 10 anos, Lapa e Vila Sônia são os que mais verticalizaram

O estudo levou em conta o crescimento dos empreendimentos verticais nos últimos 10 anos. O destaque ficou para a zona oeste, a Lapa e a Vila Sônia cresceram 16% nos últimos 10 anos, sendo as líderes de crescimento. Na sequência estão Santo Amaro (15%), Vila Andrade (13%) e Barra Funda (12%).

O estudo também olhou o crescimento no âmbito das cinco zonas da cidade e a região central da capital é a mais verticalizada com 88%, entretanto a região oeste é a que mais cresceu em 10 anos, com uma evolução de 7%, chegando a 58%. Na sequência está a zona sul com 35% – crescimento de 5% -; zona leste com 24% – crescimento de 4%; zona norte com 23% – crescimento de 5%. Estima-se que a capital, em geral, esteja 34% verticalizada e, que nos últimos 10 anos, esse índice cresceu 6%.


[There are no radio stations in the database]