Gatos ganham a preferência dos brasileiros e aumenta 20% nos últimos 6 anos

Escrito por on 01/10/2018

Domesticação tardia e mitos da espécie levam as pessoas a conhecem muito pouco as características dos felinos

 Na corrida pelo coração do homem, os cães largaram na frente. Porém, pouco a pouco, vem chamando a atenção o aumento expressivo do número de gatos como animais de estimação. A população de gatos cresce mais do que a canina e, em nações como Estados Unidos, França e Alemanha, já é maioria. No Brasil, o número de bichanos é de mais de 23,5 milhões e nos últimos 6 anos, segundo dados do IBGE 2017, esse número cresceu mais de 20%. Na proporção em que aumentam nos últimos anos – duas vezes mais do que os cães – a previsão é que os felinos assumam a dianteira do ranking daqui a dez anos.

Apesar da presença dos felinos estar crescendo, as características da espécie ainda são muito desconhecidas até mesmo pelos seus amantes, afinal de contas, um gato não é um cão pequeno. Uma das razões é a domesticação tardia. Os primeiros lobos, ancestrais dos cães, foram domesticados há 100 mil anos. Já os gatos, só entraram no nosso convívio bem depois, há 6 mil anos, no Egito. A outra razão é a personalidade dos bichanos, com particularidades bastante singulares e ainda levam como herança muitos mitos e preconceitos.

Entender a espécie é fundamental para oferecer a ela mais qualidade de vida, bem-estar e, consequentemente, longevidade. Pensando em ajudar os tutores, futuros tutores e amantes dos felinos a entende-los cada vez mais, a marca de alimentos para gatos WHISKAS® criou uma série de vídeos educativos, em formato lúdico e linguagem simples, abordando temas importantes e curiosidades do universo dos bichanos. A iniciativa, que recebeu o nome de Escola de Gatinhos, surgiu a partir das dúvidas mais buscadas na internet. Abaixo, seguem algumas delas:

Alimentação

Você já parou para pensar quanto um gato come e com qual frequência? A alimentação é a parte mais importante da rotina de um felino e garantir uma alimentação nutritiva, balanceada e na quantidade e frequência corretas faz toda a diferença na saúde e bem-estar.

A frequência e o tamanho das refeições representam dois parâmetros-chave do comportamento alimentar dos gatos:

  • Número de refeições por dia

Cada gato tem seu próprio jeito de fazer suas refeições ao longo do dia. Geralmente, um gato necessita de 3 semanas para formar seu hábito que varia de 3 a 20 refeições por dia.

  • Tamanho, duração das refeições e velocidade de alimentação

O tamanho das refeições aumenta com a palatabilidade. A duração média de uma refeição é de quase 2 minutos. A velocidade de alimentação é muito mais influenciada pela composição do alimento do que pela palatabilidade.

Como cuidar de um gatinho?

Esta é a pergunta que todos os tutores se fazem. E todo gatinho merece atenção especial durante todas as fases de sua vida, desde a alimentação, água, local para dormir, brinquedos, vacinas, cuidados com a saúde e bem-estar em geral.

Vacinas – Qualquer gato adulto ou filhote com mais de 16 semanas de vida submetido a uma vacinação inicial deve receber duas ou três doses das vacinas essenciais em um intervalo de 3 a 4 semanas. A revacinação de adulto é feita 1 ano depois do término da série inicial e, posteriormente, segue o protocolo recomendado pelo Médico-Veterinário.

Água – Os gatos consomem pouco líquido, e sua urina é bastante concentrada. Por isso, é fundamental que os gatos sempre tenham à sua disposição água limpa e fresca e que beba o suficiente para permitir o bom funcionamento de seus rins.

Como ensinar um gatinho a usar a caixa de areia?

É muito importante que o gato aprenda desde cedo o local correto de fazer suas necessidades, mantendo assim o ambiente mais higiênico e seguro para a saúde e bem-estar do próprio animal.

Um filhote é adestrado para o uso da caixa de areia com 5 ou 6 semanas de vida, aprendendo com sua mãe. Mas se ele não tiver aprendido, o tutor pode ajudá-lo. A dica é cavar um buraco com a pata dele e, depois, lhe mostrar como cobrir o que foi excretado. É importante repetir esse exercício 1 ou 2 vezes e, então, o filhote tende a começar a fazer isso sozinho.

A caixa de areia deve ser de fácil acesso e ficar distante de comedouro e da área de convívio.

Castração

A castração de gatos é um procedimento rápido, seguro e muito importante. Essa cirurgia, realizada geralmente aos 6 meses de vida, pode ser feita depois de 3 meses. Esse tipo de intervenção cirúrgica ajuda a restringir a reprodução indesejada e gera um comportamento mais adequado a vida doméstica. Além disso, mesmo para os gatos com acesso à rua ou a qualquer ambiente externo, a expectativa de vida aumenta bastante com a castração, uma vez que diminui as brigas e as doenças transmitidas entre eles.

Entre as vantagens da castração estão: a eliminação dos cios, ninhadas indesejáveis, doenças do sistema reprodutor, menor agressividade, diminuição das marcações territoriais (com urina e arranhões), redução da tendência à fuga, além de tonar os gatos mais amistoso com seres humanos e menos agressivo com seus companheiros felinos.

Comportamento

Para entender melhor o gato e a comunicação se tornar possível é importante conhecer seu comportamento. A partir daí podemos identificar seus gestos e interpretar suas vontades e desejos.

Os filhotes se comunicam com seus tutores de diversas maneiras através da cabeça, do corpo, dos sons e gestos. Por exemplo, o ronronar representa submissão e contentamento, já o gesto de abanar o rabo não demonstra que necessariamente o gato está feliz, ao contrário dos cães.

Para saber mais, acesse a Escolha de Gatinhos, com vídeos disponíveis na página de WHISKAS® no YouTube:  https://www.youtube.com/WhiskasBrasil/

 


Estação i

Current track
TITLE
ARTIST